Brasil, uma história



Baixar 2.26 Mb.
Pdf preview
Página73/193
Encontro22.07.2022
Tamanho2.26 Mb.
#24335
1   ...   69   70   71   72   73   74   75   76   ...   193
Eduardo Bueno - Brasil. Uma história
O
QUÊ
: A Sabinada foi uma revolta urbana e separatista, de inspiração
republicana, que contou com o apoio das camadas médias e baixas da população,
e cujo objetivo declarado era transformar a Província da Bahia em república
provisória, independente do Império do Brasil, pelo menos até a maioridade de


D. Pedro II.
O
NDE
: Apesar de suas pretensões provinciais, a Sabinada na verdade
restringiu-se à cidade de Salvador, já que as forças rebeldes não só foram
incapazes de conquistar as cidades do Recôncavo Baiano como também foram
sitiadas pelos exércitos armados pelos senhores de engenho daquela região – e
vencidas por eles, com o apoio do exército imperial.
Q
UANDO
: A rebelião teve início em 7 de novembro de 1837, dois meses após
a renúncia do regente Diogo Feijó, e só foi inteiramente sufocada em março de
1838.
P
OR QUÊ
: Embora tenha se levantado contra o poder central, a Sabinada no
fundo foi um conflito da classe média baiana contra a supremacia dos senhores
de engenho. E ainda que tenha contado com apoio das camadas menos
favorecidas da população, foi liderada pelo médico Francisco Sabino Álvares da
Rocha Vieira.
O
RIGEM DO NOME
: A revolta foi batizada numa referência a Francisco
Sabino.
C
OMO
: Em 7 de novembro de 1837, a guarnição do forte São Pedro se
sublevou contra o governo provincial, insuflada pelas ideias supostamente
republicanas do dr. Sabino. Alarmadas, as principais autoridades da Bahia se
refugiaram em navios ancorados no porto ou fugiram para as cidades “legalistas”
do Recôncavo. Os líderes da revolta leram um “Manifesto à Nação”, mediante o
qual declararam a Bahia “inteira e perfeitamente desligada do governo
denominado Central do Rio de Janeiro”, transformando-a num “Estado livre e
independente, até a maioridade de 18 anos de Sua Majestade, o Imperador D.
Pedro II”. Os grandes fazendeiros e senhores de engenho do Recôncavo –
contando com recursos financeiros, homens e armas – não estavam dispostos a
esperar tanto.
Eles formaram seu próprio exército e iniciaram a reação. Reforços militares
foram enviados de Pernambuco, e as tropas legalistas cercaram Salvador por
terra e mar. No dia 13 de março de 1838, os “sabinos” atearam fogo à cidade,
incendiando pelo menos 160 prédios. Vinte e quatro horas depois, eles se
renderam. Quase duas mil pessoas foram presas e enviadas para o exílio. O dr.
Sabino, um condenado à morte, teve a pena comutada para o degredo em Mato


Grosso – onde morreria, algum tempo depois, em circunstâncias misteriosas. A
Sabinada custou a vida de pelo menos quatro mil pessoas – quase dez por cento
da população de Salvador.
A BALAIADA

Baixar 2.26 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   69   70   71   72   73   74   75   76   ...   193




©historiapt.info 2023
enviar mensagem

    Página principal