Brasil, uma história


parte dele aderiu aos revoltosos. No interior do estado, fazendeiros e



Baixar 2.26 Mb.
Pdf preview
Página122/193
Encontro22.07.2022
Tamanho2.26 Mb.
#24335
1   ...   118   119   120   121   122   123   124   125   ...   193
Eduardo Bueno - Brasil. Uma história

parte dele aderiu aos revoltosos. No interior do estado, fazendeiros e
comerciantes armaram voluntários para combater o golpe, formando os
chamados “pelotões patrióticos”. Ao anoitecer do dia 8, impossibilitados de
tomar a cidade com seus blindados pesados demais e também incapazes de
expandir a luta até Santos, os rebeldes enviaram um mensageiro ao palácio
bombardeado. Iam propor a rendição em troca de anistia. Depararam-se com o
palácio vazio.
O presidente Carlos de Campos fugira de madrugada. Assim, os rebeldes
tomaram o poder. Mas não por muito tempo: Artur Bernardes ordenou o
bombardeamento aéreo de São Paulo, embora soubesse que isso provocaria a
morte de civis inocentes. As bombas deixaram a cidade entregue ao caos. Em
meio ao desespero da população, inúmeros armazéns, mercados e depósitos
foram saqueados. A partir do dia 16 de julho, com 15 mil soldados fiéis ao
governo cercando a cidade, iniciaram-se as negociações para o armistício.
A princípio, o general Isidoro condicionou a assinatura de um acordo à
entrega do poder a um governo provisório e à convocação de uma Constituinte.
Bernardes recusou a proposta. A seguir, os revoltosos prometeram depor as
armas se fossem anistiados. Quando essa reivindicação também foi negada, as
forças rebeldes decidiram abandonar a capital, de trem, partindo no dia 27 de
julho rumo a Foz do Iguaçu – PR. Em outubro de 1914, alguns tenentes gaúchos,
inconformados com as estipulações do Pacto de Pedras Altas – que decretara o
fim da Revolução de 1923, no Rio Grande do Sul –, insurgiram-se iniciando uma
marcha para se unir aos rebeldes paulistas no Paraná. Em abril de 1925, os dois
grupos se juntaram, formando o que viria a ser o embrião da Coluna Prestes.
A COLUNA PRESTES
partida das forças rebeldes de São Paulo, no dia 27 de julho de 1924, foi
atribulada e dramática. O tenente João Cabanas, principal líder dos saques


aos mercados públicos da cidade, ficou na retaguarda da marcha, combatendo
com ferocidade as tropas legalistas que se lançaram em perseguição aos
rebeldes. Em setembro, ainda sob o comando do general Isidoro Dias Lopes, os
revoltosos conquistaram Guaíra, no Paraná, e lá estabeleceram seu quartel-
general, enfrentando as tropas comandadas pelo general Rondon em combates
sangrentos que perduraram até abril de 1925. Antes do início da campanha
militar no Paraná, alguns tenentes – entre eles Juarez Távora e João Alberto –
Baixar 2.26 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   118   119   120   121   122   123   124   125   ...   193




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal