Biologia Marcela Yaemi Ogo Mapa de conteúdos e recursos Volume 3 Orientações para o professor



Baixar 135.06 Kb.
Página20/73
Encontro27.07.2022
Tamanho135.06 Kb.
#24380
1   ...   16   17   18   19   20   21   22   23   ...   73
Biologia 3 Orientações Professor
geografia-espa-o-e-identidade-levon-boligian-andressa-alves-3-c compress
325
· Muitos alunos devem apresentar dúvidas sobre o conceito de evolução. Sobre isso, leia para eles o trecho do texto a seguir.
[...] Existe, porém, um tipo particular de mudança que parece ocorrer continuamente e apresentar uma componente direcional. Essa alteração é chamada de evolução. A primeira ideia generalizada de que o mundo não é estático, como propõe a história da criação, mas está evoluindo, data do século XVIII. [...] Assim como mudanças graduais no desenvolvimento de um organismo levam do óvulo fecundado ao indivíduo adulto, imaginou-se que o mundo orgânico como um todo se moveria dos organismos mais simples para outros cada vez mais complexos, culminando no homem. O primeiro a expor a ideia em detalhes foi o naturalista francês Lamarck. A palavra evolução, que havia originalmente sido aplicada por Charles Bonnet para se referir ao desenvolvimento do óvulo, foi transferida para o desenvolvimento da vida. [...]
O que está de fato envolvido nesta mudança contínua do mundo orgânico? A questão foi, a princípio, bastante discutida, embora Darwin já conhecesse a resposta. Finalmente, durante a síntese evolucionista [...], surgiu um consenso: "Evolução é a mudança das propriedades de populações de organismos ao longo do tempo." Em outras palavras, a população pode ser considerada como a unidade da evolução. Os genes, indivíduos e espécies também têm seus papéis, mas é a modificação das populações que caracteriza a evolução dos organismos vivos. [...]
MAYR, Ernst. O que é a Evolução. Rio de Janeiro: Rocco, 2009. p. 27-28. · Diga aos alunos que as teorias de Charles Robert Darwin
(páginas 117 e 118) foram revolucionárias. Antes que publicasse suas pesquisas, várias correntes de pensamento vigoravam. O essencialismo surgiu com os gregos, influenciado pelas ideias de Pitágoras e Platão, e defendia que os fenômenos naturais podiam ser divididos em classes, caracterizadas por sua essência constante e diversa de todas as outras; assim, a classe das árvores era definida por um tronco com uma copa com folhas; essa ideia era aceita pelas religiões cristãs e por muitos filósofos. Uma ideia denominada finalismo foi defendida nos séculos XIX e XX, e afirmava que os seres vivos tendem a se mover para um estado de perfeição; embora acreditassem na evolução, supunham que ela ocorria de um patamar inferior para um superior, do simples para o complexo; assim, cada ser vivo teria uma força interna, que o moveria para um estado de perfeição. Essas visões impediram a aceitação imediata das ideias de Darwin, que só se solidificaram após a década de 1950.
· O pensamento populacional defendido por Darwin rompeu com o essencialismo, pois afirmava que não existem classes constantes, mas sim populações variáveis, em que cada espécie é composta de diversas populações.
· A partir da análise dessas diferentes correntes de
pensamento contrárias às ideias de Darwin, fica evidente que foi difícil levá-las à aceitação. Muitas visões defendem que os indivíduos evoluem, mas Darwin mostrou que a evolução ocorre nas populações. Quando pensamos na organização dos seres vivos segundo Lineu, pensamos em táxons e na totalidade dos seres vivos. Mas no sentido evolutivo é preciso pensar em população. Os alunos podem questionar se a evolução ocorre pela mudança no indivíduo por causa de mutações genéticas. Explique-lhes que o genótipo permanece basicamente constante desde que nascemos até nossa morte. A evolução envolve uma mudança na distribuição genética dos organismos de uma população, que ocorre de uma geração para outra.
Páginas 121 a 126
· Explique aos alunos que os fósseis (páginas 121 e 122) são evidências diretas da evolução dos seres vivos, pois mostram sua história. Entretanto, os registros fósseis não são completos. É preciso destacar que a fossilização é um processo difícil de ocorrer. Por exemplo, organismos cujo esqueleto não é duro só fossilizam sob determinadas condições. E mesmo que o esqueleto seja rígido, as partes só serão fossilizadas se estiverem em ambientes favoráveis, onde os sedimentos se depositam facilmente. Ainda assim, os fósseis e a datação das rochas da Terra ajudam a identificar há quanto tempo esses seres existiram e até mesmo quando foram extintos.
· Sobre a Biogeografia (página 122), leia o trecho do texto a seguir para os alunos.
[...] Biogeografia, o estudo das coisas vivas no espaço e no tempo. Biogeógrafos buscam responder questionamentos básicos tais como: por que existem tantas criaturas vivas? Por que estão distribuídas desta forma? Sempre possuíram estes mesmos padrões de distribuição? As atuais atividades humanas afetam estes padrões de distribuição e, em caso afirmativo, quais são as perspectivas para o futuro?
A Biogeografia é uma ciência multidisciplinar com uma longa história. Suas origens remontam às das ciências correlatas, quais sejam, Biologia, Geografia, Geologia, Paleontologia e Ecologia. As expedições para descobertas geográficas no século XVIII pavimentaram o caminho para a ascensão da Biogeografia como ciência por si própria. A acumulação de registros de distribuição continua até hoje, e é sobre estes dados que a biogeografia deve, essencialmente, se fundamentar. Durante a viagem do Beagle, Darwin coletou e avaliou o material biogeográfico que, em última análise, levou-o a conceber a evolução por seleção natural, uma ideia que iria mudar o curso da Biologia. [...]
COX, C. B.; MOORE, P. D. Biogeografia: uma abordagem ecológica e evolucionária. 7. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2009. p. 1.

Baixar 135.06 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   16   17   18   19   20   21   22   23   ...   73




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal