Avaliação neuropsicológica no Acidente Vascular Cerebral: um estudo de caso Neuropsychological assessment in stroke: a case study Evaluación neuropsicológica en el accidente cerebrovascular: un estudio de caso



Baixar 119.04 Kb.
Pdf preview
Página6/12
Encontro20.06.2021
Tamanho119.04 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   12
Apresentação do caso clínico

Participante

Estudo de caráter descritivo e transversal. O 

caso A.B.C., sexo masculino, empresário, 50 anos 

de idade e nível educacional alto (superior incom-

pleto, com 14 anos de educação formal), foi enca-

minhado por sua fonoaudióloga. Sua queixa inicial 

na procura por atendimento neuropsicológico foi 

um conjunto de sequelas cognitivas (memória e 

atenção) e comunicativas (principalmente expres-

siva) adquirido após um AVC isquêmico, sugestiva 

de alteração principalmente na linguagem e nas 

funções executivas pelo relato dos familiares.  

No que diz respeito aos hábitos de fumo e 

ingestão de bebidas alcoólicas, o paciente fumava 

uma carteira de cigarros por dia e ingeria aproxi-

madamente de duas a três doses de bebida desti-

lada e de duas a três garrafas de vinho por final de 

semana. Quanto à sua saúde geral, desde o AVC, 

apresenta depressão, e embora ela esteja sendo 

tratada com medicamento antidepressivo, ainda 

podem ser observados clinicamente alguns sinais 

como mau humor, aborrecimento, pessimismo. Há 

20 anos possui hipertrofia cardíaca. Não praticava 

exercícios físicos.

A.B.C. procurou atendimento neuropsi-

cológico quatro meses após o acometimento 

neurológico. Na tomografia computadorizada de 

crânio, foi verificada uma extensa hipodensidade 

comprometendo a região fronto-têmporo-parietal 

à esquerda (região de vascularização da artéria 

cerebral média), relacionada à alteração isquêmica, 

havendo efeito de massa sobre o ventrículo ipsi-

lateral e leve desvio contralateral da linha média. 

Na Figura 1 (em anexo), podem-se visualizar duas 

imagens obtidas em um exame de tomografia com-

putadorizada de crânio, cortes transversais. 

A doença cerebrovascular tradicionalmente 

conhecida e chamada de AVC é uma disfunção 

neurológica aguda, de origem vascular, de início 

relativamente súbito, com sinais focais ou, em algu-

mas vezes, globais de alterações da função cerebral, 

com duração superior a 24 horas. Classifica-se, 

geralmente, em isquêmico ou hemorrágico

8

. Os 



AVCs isquêmicos, que correspondem a 80-85% 

dos casos, são causados por fluxo sanguíneo 

insuficiente em parte ou em todo o cérebro. Os 

AVCs restantes, cerca de 15%, são chamados de 

hemorrágicos, causados por um extravasamento de 

sangue no parênquima nervoso

4,9



 



Os AVCs, sejam isquêmicos ou hemorrá-

gicos, tendem a acarretar sequelas transitórias ou 

permanentes, tais como de saúde neurológica geral 

– prejuízos da função motora (paresias e plegias), 

sensitiva (parestesias) e do estado da consciência 

(coma) –, além de alterações neuropsicológicas, 

que podem ser cognitivas, comunicativas e/ou 

emocionais

3,4,10

. Déficits cognitivos pós-AVC são 



muito frequentes e podem ter grande impacto no 

indivíduo e em sua família. Aproximadamente 

65% dos pacientes que sobrevivem a um AVC 

apresentam prejuízos cognitivos. A ocorrência de 

alterações cognitivas está fortemente relacionada 

à dificuldade de recuperação do paciente e de seu 

benefício com a reabilitação, assim como à ocor-

rência de um segundo episódio de AVC

9-11



Dentre  os  déficits  neuropsicológicos  mais 



associados ao quadro de AVC, encontram-se as 

alterações  de  linguagem  (afasias),  percepção 

(agnosias), memória (dismnésias), praxias (dispra-

xias), funções executivas (síndrome disexecutiva) 

e atenção

3,4,9,11


. Podem ocorrer, ainda, alterações 

neuropsiquiátricas, tais como apatia, depressão e 

ansiedade

11.


Um AVC pode, então, ocasionar sequelas 

irreversíveis, sendo reconhecido como uma das 

maiores causas de morbidade e mortalidade

8,11


Sequelas decorrentes desse evento podem levar a 

déficits leves a graves, com diferentes combinações 

dos referidos prejuízos cognitivos, dependendo de 

muitos fatores, tais como local e extensão da lesão, 

tempo entre o acometimento e o atendimento

tempo pós-lesão, idade e escolaridade do paciente

11



Instrumentos de avaliação neuropsicológica 

não têm sido utilizados rotineiramente na avaliação 

de pacientes com doença cerebrovascular

9

 na clí-



nica fonoaudiológica. Essa limitada representativi-

dade da avaliação neuropsicológica provavelmente 




Avaliação neuropsicológica no Acidente Vascular Cerebral: um estudo de caso

ARTIGOS

834


  

Distúrbios Comun. São Paulo, 27(4):831-839, dezembro, 2015

adaptada em 1998, porém não foi publicada, mas 

é utilizada para fins de pesquisa. É composta por 

tarefas de avaliação do desempenho linguístico, 

tendo sido elaborada para o diagnóstico preferen-

cial dos transtornos de linguagem típicos da afasia 

– alteração adquirida da forma ou do conteúdo da 

linguagem, após lesão do hemisfério dominante, 

em geral, o esquerdo

3



4) Teste de trilhas

15

. No Trail Making Test A 



and B, adaptado para fins de pesquisa

16

, o paciente 



deve traçar uma linha entre números e letras em 

uma ordem alternada e crescente. 

5) Span verbal de dígitos

17

. Nesse subteste da 



Escala Wechsler de Memória revisada, adaptado 

para  fins  de  pesquisa

16

, o paciente deve repetir 



sequências de números em ordem direta e indireta.

6) Teste Wisconsin de Classificação de Cartas – 

WCST

18

. O paciente deve categorizar cartas de um 



baralho conforme regras de combinação com quatro 

cartas-chave, procurando manter ou modificar sua 

estratégia de resposta a partir do retorno de acerto 

ou erro dado pelo examinador. 

7) Atenção concentrada AC-

1519


. O paciente é 

orientado a julgar se estímulos verbais escritos são 

iguais ou diferentes por quinze minutos divididos 

em três etapas de cinco minutos.

 

Alguns instrumentos que deveriam fazer 





Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   12


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal