Atualização da Diretriz de Ressuscitação Cardiopulmonar e Cuidados Cardiovasculares de Emergência da Sociedade



Baixar 8.81 Mb.
Pdf preview
Página416/535
Encontro30.06.2021
Tamanho8.81 Mb.
1   ...   412   413   414   415   416   417   418   419   ...   535
Quadro 15.6 –
 Classificação da insuficiência cardíaca pelo 
INTERMACS (Interagency Registry for Mechanically Assisted 
Circulatory Support)
Nível
Descrição
Estado hemodinâmico
Tempo para 
suportemecânico
1
Choque 
cardiogênico
Hipotensão persistente. 
DMOS. Risco de morte 
iminente a despeito de 
medicamentos
Horas
2
Declínio 
progressivo, 
apesar dos 
inotrópicos
Uso de inotrópicos em 
doses altas. Piora da 
função renal e do estado 
nutricional
Dias
3
Estável à custa 
de inotrópicos
Estabilidade atingida com 
uso de inotrópicos em 
doses moderadas
Semanas
4
Sintomas ao 
repouso
Possibilidade de desmame 
de inotrópicos
Semanas a meses
5
Intolerante ao 
esforço
Confortável ao repouso, 
mas com limitação severa. 
Sinais de congestão
Urgência variável
6
Limitação aos 
esforços
Limitação moderada, sem 
hipervolemia
Urgência variável
7
Classe funcional: 
NYHA III
Manejo de volume 
adequado
Sem indicação
DMOS: disfunção de múltiplos órgãos e sistemas; NYHA: New York Heart 
Association. Fonte: adaptado de Stevenson et al.
1115
594


Atualização
Atualização da Diretriz de Ressuscitação Cardiopulmonar e Cuidados 
Cardiovasculares de Emergência da Sociedade Brasileira de Cardiologia – 2019
Arq Bras Cardiol. 2019; 113(3):449-663
Outras complicações são infecção de sítio de punção, 
sangramentos e tromboses. 
Pacientes que mantêm boa função pulmonar e nível 
neurológico adequado devem ser preferencialmente mantidos 
extubados e com analgesia, conforme necessário. A utilização 
de sedativos e o bloqueio neuromuscular em pacientes com 
ECMO prolongam a necessidade de estadia em ambiente de 
terapia intensiva.
1124,1125
O desmame de ECMO venoarterial deve seguir parâmetros 
clínicos, laboratoriais e ecocardiográficos. Pacientes sem 
deterioração hemodinâmica, com fração de ejeção > 20 a 
25% que mantiverem a integral entre o tempo e a velocidade  
(VTI)> 12 cm e TDSa (tissue Doppler lateral mitral annulus 
peak systolic velocity) ≥ 6 cm/s durante teste com diminuição 
do débito da ECMO venoarterial para < 1 a 1,5 L/minuto 
podem ter a ECMO retirada.
1126
 Por outro lado, pacientes 
que não preencherem esses critérios podem necessitar de 
mais tempo de ECMO, ou modificação da MCS para suporte 
de longa permanência ou transplante cardíaco.



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   412   413   414   415   416   417   418   419   ...   535


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal