Atualização da Diretriz de Ressuscitação Cardiopulmonar e Cuidados Cardiovasculares de Emergência da Sociedade



Baixar 8.81 Mb.
Pdf preview
Página376/535
Encontro30.06.2021
Tamanho8.81 Mb.
1   ...   372   373   374   375   376   377   378   379   ...   535
577


Atualização
Atualização da Diretriz de Ressuscitação Cardiopulmonar e Cuidados 
Cardiovasculares de Emergência da Sociedade Brasileira de Cardiologia – 2019
Arq Bras Cardiol. 2019; 113(3):449-663
se o corpo, exceto a face, dentro do saco plástico e, a seguir, 
realizam-se as manobras necessárias.
1074
 O saco plástico só 
será retirado depois da estabilização térmica na UTI. Deve-se 
também colocar touca dupla para reduzir a perda de calor na 
região da fontanela: cobrir a cabeça com triângulo plástico 
e, por cima, touca de lã ou algodão. Em RN < 34 semanas, 
enquanto estão sendo tomadas as medidas para prover calor
simultaneamente, locar o sensor do oxímetro de pulso na 
palma da mão ou pulso radial direito, para monitorar a SatO
2
 
pré-ductal, lembrando que a leitura confiável da SatO
2
 e da 
FC demora cerca de 1 a 2 minutos após o nascimento, desde 
que haja DC suficiente, com perfusão periférica.
1075
O próximo passo consiste em manter a permeabilidade 
das vias aéreas, posicionando-se a cabeça do RN com leve 
extensão do pescoço. Na sequência, se houver excesso de 
secreções nas vias aéreas, a boca e, depois, as narinas são 
aspiradas delicadamente, ressaltando-se que a aspiração 
de vias aéreas está reservada aos pacientes que apresentam 
obstrução à respiração espontânea por secreções. 
Uma vez feitos os passos iniciais da reanimação, avaliam-se 
a respiração e a FC com estetoscópio no precórdio. Se houver 
vitalidade adequada, com respiração rítmica e regular, e FC 
> 100 bpm, o RN deve receber os cuidados de rotina na 
sala de parto. Quando o RN < 34 semanas apresenta FC > 
100 bpm e respiração espontânea, mas está com desconforto 
respiratório e/ou SatO
2
 abaixo da esperada na transição 
normal (Figura 13.1), logo após o nascimento, pode-se aplicar 
Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas (CPAP). Entretanto, 
se, após os passos iniciais, o RN apresentar apneia, respiração 
irregular e/ou FC < 100 bpm, indica-se a VPP. 
13.6. Assistência ao Recém-Nascido com Líquido 
Amniótico Meconial 
Logo após o nascimento, se o RN com líquido amniótico 
meconial é de termo, está respirando ou chorando, e com 
tônus muscular em flexão, ele deve continuar junto de sua mãe 
depois do clampeamento tardio do cordão.
1076
 Se o paciente 
com líquido amniótico meconial é pré-termo tardio ou pós-
termo, ou não iniciou movimentos respiratórios regulares ou 
o tônus muscular está flácido, é necessário levá-lo à mesa de 
reanimação e realizar os passos iniciais, sendo prudente incluir 
a aspiração de boca e narinas suavemente com sonda traqueal 
número 10. A seguir, se o RN está com boa vitalidade, deixá-lo 
em contato pele a pele com a mãe, mantendo a observação 
do tônus muscular e da respiração.
No RN com líquido amniótico meconial de qualquer 
viscosidade levado à mesa de reanimação para os passos 
iniciais, que apresenta apneia, respiração irregular e/ou FC 
< 100 bpm, é fundamental iniciar a VPP com máscara facial 
e ar ambiente nos primeiros 60 segundos de vida. Se, após 
30 segundos de VPP efetiva, o neonato não melhora e há 
forte suspeita de obstrução de vias aéreas, pode-se indicar 
a retirada do mecônio residual da hipofaringe e da traqueia 
sob visualização direta. A aspiração traqueal propriamente 
dita é feita por meio da cânula traqueal conectada a um 
dispositivo para aspiração de mecônio e ao aspirador a vácuo, 
com pressão máxima de 100 mmHg. Nessa situação, aspirar 
o excesso de mecônio uma única vez.
1061-1066
13.7. Ventilação com Pressão Positiva 
A ventilação pulmonar é o procedimento mais importante 
e efetivo na reanimação do RN em sala de parto. A VPP 
está indicada quando, após os cuidados para manter a 
temperatura e a permeabilidade das vias aéreas, o RN 
apresenta apneia, respiração irregular e/ou FC < 100 bpm. 
A VPP precisa ser iniciada nos primeiros 60 segundos de 
vida (“The Golden Minute”). 
Em  RN  ≥  34  semanas  de  idade  gestacional,  enquanto 
um profissional inicia a VPP, outro fixa os três eletrodos do 
monitor cardíaco (braços próximos ao ombro e face anterior 
da coxa) para acompanhar a FC e, a seguir, loca o sensor do 
oxímetro de pulso no pulso radial direito para monitorar a 
SatO
2
 pré-ductal. 
Em RN < 34 semanas de idade gestacional, o sensor do 
oxímetro foi locado nos passos iniciais. Se há indicação de 
VPP, enquanto um profissional inicia a VPP, o outro fixa os três 
eletrodos do monitor cardíaco (braços próximos ao ombro e 
face anterior da coxa) para acompanhar a FC. 



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   372   373   374   375   376   377   378   379   ...   535


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal