Atualização da Diretriz de Ressuscitação Cardiopulmonar e Cuidados Cardiovasculares de Emergência da Sociedade


A) Taquicardias com Perfusão Adequada



Baixar 8.81 Mb.
Pdf preview
Página341/535
Encontro30.06.2021
Tamanho8.81 Mb.
1   ...   337   338   339   340   341   342   343   344   ...   535
A) Taquicardias com Perfusão Adequada
As TSV são originadas e mantidas por estruturas localizadas 
acima da bifurcação do feixe de Hiss. Os complexos QRS 
apresentam duração de 0,09 segundo ou menos, na maioria 
dos casos. As TSV podem se originar: no nó sinusal (taquicardia 
sinusal, por hiperautomatismo ou reentrada); nos átrios (TA 
ectópica, TA multifocal, flutter ou FA); no nó atrioventricular 
(TSV paroxística por reentrada nodal); e no tronco do feixe 
de Hiss (taquicardia juncional). Podem ainda envolver uma 
via acessória (síndrome de Wolff-Parkinson-White).
Durante a avaliação, é fundamental identificar alguma 
causa alternativa para a FC elevada, como a hipertermia. 
A seguir, apresentamos o algoritmo de orientação frente a 
taquicardias com perfusão adequada.
Fase 1 
Manter as vias aéreas pérvias, e adequadas ventilação 
e oxigenação, além de um acesso vascular (intravenosa ou 
intraóssea). De acordo com a necessidade, utilizar máscara de 
oxigênio ou IOT. Monitor e desfibrilador devem ser instalados. 
O ECG deve ser realizado em 12 derivações.
Fase 2 
Deve-se determinar se a taquicardia está associada ou não 
à perfusão adequada. A taquicardia é definida como FC acima 
do normal para a idade e condição clínica.
Fase 3 
É importante determinar a duração do QRS em relação 
à idade e à FC. O QRS estreito remete à fase 4, e o QRS 
alargado para a idade, à fase 9.



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   337   338   339   340   341   342   343   344   ...   535


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal