Atualização da Diretriz de Ressuscitação Cardiopulmonar e Cuidados Cardiovasculares de Emergência da Sociedade



Baixar 8.81 Mb.
Pdf preview
Página205/535
Encontro30.06.2021
Tamanho8.81 Mb.
1   ...   201   202   203   204   205   206   207   208   ...   535
Nitroprussiato de sódio (1 ampola = 50 mg): diluído 
em solução de glicose 5%. Aplicar por via endovenosa: 0,5 
a 8 μg/kg/minuto, fazendo reajustes, se necessário, a cada 
10 minutos.
8.6.1. Recomendações
•  O tratamento dirigido para o tipo de AVC diagnosticado 
deve ser iniciado em até 60 minutos da admissão do 
paciente no serviço hospitalar, observando-se, em 
primazia, os tempos relacionados no quadro 8.1 (Classe 
de Recomendação II; Nível de Evidência B).
•  Desenvolvimento e aplicação de protocolos escritos 
multiprofissionais e integrados para o atendimento de 
todo e qualquer caso com suspeita de AVC (Classe de 
Recomendação II; Nível de Evidência B.
•  O tratamento do paciente com AVC deve ser orientado 
por um médico neurologista (Classe de Recomendação I; 
Nível de Evidência B).
•  Realização de exames laboratoriais para exclusão de 
diagnósticos diferenciais e auxílio na decisão terapêutica 
(Classe de Recomendação IIb; Nível de Evidência B).
•  Realização de exame de neuroimagem para orientação 
terapêutica na fase aguda (tomografia ou RM) (Classe de 
Recomendação I; Nível de Evidência A).
•  Monitorização cardiovascular não invasiva e da SatO

(Classe de Recomendação II; Nível de Evidência B).
•  Suplementação de oxigênio deve ser realizada, apenas 
se necessário, para manter a SatO
2
 em níveis iguais ou 
maiores que 95% (Classe de Recomendação IIb; Nível de 
Evidência B).
•  A indicação de suporte ventilatório e a proteção de 
vias aéreas devem ser cuidadosamente avaliadas, 
especialmente nos pacientes com rebaixamento de nível 
de consciência e quadro neurológico sugestivo de AVC 
isquêmico de tronco cerebral (Classe de Recomendação 
II; Nível de Evidência B).
•  O paciente com AVC agudo deve ser adequadamente 
hidratado com soluções salinas isotônicas (Classe de 
Recomendação II; Nível de Evidência B).
•  Avaliar a possibilidade diagnóstica de diabetes nos 
pacientes com hiperglicemia, por meio do exame de 
hemoglobina glicada, e tratar causas secundárias (Classe 
de Recomendação II; Nível de Evidência B).
•  Tratar hiperglicemia na fase aguda do AVC com insulina 
regular, tendo como meta razoável níveis de glicemia entre 
140 e 180 mg/dL (Classe de Recomendação IIa; Nível de 
Evidência C.
•  Corrigir prontamente situações de hipoglicemia (glicemia 
abaixo de 70 mg/dL) (Classe de Recomendação IIa; Nível 
de Evidência B).
•  Não reduzir a pressão arterial na fase aguda do AVC 
isquêmico, exceto quando os níveis pressóricos forem 
PAS > 220 mmHg ou PAD > 120 mmHg. Nestes casos, a 
redução não deve exceder a 15% dos valores pressóricos 
iniciais, nas primeiras 24 horas (Classe de Recomendação 
II; Nível de Evidência B).
•  Utilizar medicação anti-hipertensiva em pacientes 
candidatos ao tratamento trombolítico, mas com níveis 
pressóricos  ≥  185  ×  110  mmHg  antes  do  início  do 
tratamento (Quadro 8.2) (Classe de Recomendação I; Nível 
de Evidência A).
•  Manter monitorização pressórica intensiva na fase aguda 
do AVC, com ajuste do tratamento caso necessário, 
objetivando, nos casos submetidos ao tratamento 
trombolítico,  PAS  ≤  180  mmHg  e  PAD  ≤  105  mmHg 
(Quadro 8.3) (Classe de Recomendação I; Nível de 
Evidência A). 
•  Não reduzir abruptamente a pressão arterial na fase 
aguda do AVC isquêmico. Por essa mesma razão, o uso da 
nifedipina está contraindicado (Classe de Recomendação 
IIa; Nível de Evidência B).
•  A pressão arterial média deve ser mantida acima de 90 
mmHg. Isso deve ser feito pela administração de fluidos 
isotônicos e, quando necessário, drogas vasoativas (Classe 
de Recomendação II; Nível de Evidência B).
•  Manter a temperatura axilar abaixo de 37,5 oC (Classe de 
Recomendação II; Nível de Evidência B).
•  Nos casos de hipertermia, investigar causas infecciosas. 
Febre de origem central deve ser sempre um diagnóstico 
de exclusão (Classe de Recomendação IIa; Nível de 
Evidência B).
8.7. Anticoagulantes, Antiagregantes Plaquetários e 
Estatinas no Acidente Vascular Cerebral Isquêmico Agudo



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   201   202   203   204   205   206   207   208   ...   535


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal