Aprendizagem



Baixar 2.79 Mb.
Pdf preview
Página9/27
Encontro14.09.2021
Tamanho2.79 Mb.
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   27
Sugestão de leitura:

O inglês que falamos em nosso cotidiano. 

Disponível em: 

academiawashington.com.br/o-ingles-que-falamos-em-nos-

so-cotidiano/ 

Acesso em:  31 jul. 2020. 

Idiomas que influenciaram o vocabulário da Língua Inglesa.  

Disponível em: 

preply.com/pt/blog/2014/03/11/9-idiomas-que-influenciaram-

-o-vocabulario-da-lingua-inglesa/

Acesso em:  31 jul. 2020. 

1



3

TRILHA 1 | Tema: Língua Inglesa e seu papel no mundo globalizado – inglês como língua franca

 4. EXPLORANDO A TRILHA 

Até  aqui você  está refletindo sobre o termo 

globish

 e o inglês como lín-

gua franca. Tudo bem? Para entender o contexto de uma boa comunicação 

entre pessoas de idiomas diferentes, é necessário compreender que essa 

comunicação não se dá somente se os envolvidos forem fluentes na língua 

falada. Nesse sentido, o seu desafio agora é pensar sobre os termos sotaque 

(

accent


) e dialetos (

dialet


), pois é de suma importância levarmos em consi-

deração esses contextos quando se trata da comunicação entre falantes de 

idiomas diferentes. Faça leituras sobre esses termos e anote o que desco-

briu sobre eles no seu bloco de anotações.

Bom, nesse mesmo atalho, vamos ler os textos propostos para nos apro-

priarmos mais sobre o inglês como língua franca e o termo 

Globish

Texto 2 – A New International Business Language: Globish



English is the global language of business, yet English is also the native 

tongue of relatively few people, and it is notoriously hard to learn. What can 

be done? Jean-Paul Nerrière came up with an answer: Globish, a kind of 

simplified English that is vastly easier to use and can work almost as well 

as a full command of the language in most business situations. Nerrière, a 

Frenchman, was an international vice president of marketing at IBM when he 

noticed a pattern in how non-native English speakers communicated at con-

ferences. As Michael Sakpinker writes in the Financial Times, he observed 

that: “when a Japanese employee met a Belgian, a Chilean and an Italian, 

they managed. None spoke English brilliantly but each knew the others were 

making mistakes too. When an American or British manager walked in, ev-

erything changed. The native speakers talked too fast and used mysterious 

expressions”. The secret was to employ a stripped-down vocabulary and, 

crucially, avoid all figurative language and never tell jokes. So Nerrière de-

veloped a list of 1,500 English words that he is convinced you can use to 

communicate just about anything, and he has been building a business in 

training people to speak with that basic vocabulary.

Disponível em: 

https://www.forbes.com/sites/frederickallen/2012/03/01/a-

-new-international-business-language-globish/#2176438d52c2

 Acesso em:  

26 jul. 2020.           




4

TRILHA 1 | Tema: Língua Inglesa e seu papel no mundo globalizado – inglês como língua franca

Texto 3 – Inglês ou globês como Língua Franca?

Com o intuito de facilitar a comunicação internacional, foram muitas as 

tentativas de tornar o esperanto (língua artificial criada pelo filólogo Ludwik 

Lejzer Zamenhof em 1887) a língua franca do século XX. Entretanto, por 

relações de poder, como visto na seção anterior, foi o inglês que acabou 

recebendo essa função. A expressão língua franca é utilizada para se referir 

a “[...] uma língua para a comunicação rotineira entre (grupos de) pessoas 

que possuem línguas maternas diferentes.” (CARTER; NUNAN, 2005, p. 

223, tradução nossa) . Essa definição também é corroborada por Jenkins 

(2006, p. 160, tradução nossa) .: “[…] em seu aspecto mais legítimo, o in-

glês como língua franca é definido como uma língua usada para a comuni-

cação apenas entre falantes de línguas diferentes.” Uma questão que surge 

é: a língua inglesa, utilizada por tantos falantes estrangeiros como língua 

franca seria uniforme, ou seja, tratar-se-ia de uma mesma língua? 

Trabalhando nos Estados Unidos, o francês Jean-Paul Nerrière percebeu 

que, ao se comunicar com falantes não-nativos da língua inglesa, conseguia 

estabelecer uma melhor comunicação do que com os próprios nativos, uma 

vez que a variedade linguística falada por eles diferenciava-se do inglês-

-nativo (tanto na pronúncia quanto na estrutura). A partir de então, Nerrière 

notou que a língua que falavam não era o inglês (tal qual o falado pelos 

nativos), mas uma outra língua parecida, a qual ele chamou de globês . Essa 

terminologia (que vem de globo, global) é usada para identificar a variedade 

do inglês falada por estrangeiros para a comunicação global. Suas princi-

pais características são: a) a comunicação através das 1500 palavras mais 

freqüentes da língua inglesa e b) uma pronúncia baseada na inteligibilidade 

(conseguir entender e ser entendido), e não na perfeição (GRZEGA, 2006). 

[...] De qualquer modo, assim como a língua inglesa tendeu a se modificar 

entre os falantes estrangeiros, formando, assim, uma outra língua (o glo-

bês), o mesmo fenômeno deve ocorrer com esta, pois a tentativa de uma 

língua universal uniforme parece ser sempre frustrada, já que as línguas, 

variam de acordo com as necessidades de cada região.

Disponível em: 

http://veredas.favip.edu.br/ojs/index.php/veredas1/article/

view/120/237

 Acesso em:  26 jul. 2020.  (adaptado)



5

1

2



3

4

TRILHA 1 | Tema: Língua Inglesa e seu papel no mundo globalizado – inglês como língua franca



Para aprofundar mais seus conhecimentos, pesquise nestas referências:



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   27


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal