Alguns minutos com tua mãe obrigado



Baixar 152.63 Kb.
Página23/34
Encontro08.02.2022
Tamanho152.63 Kb.
#21498
1   ...   19   20   21   22   23   24   25   26   ...   34
HISTÓRIA OU TEOLOGIA?

TEOLOGIA E HISTÓRIA?
A passagem de Marcos 3,20-21, que continua em 3,31-35, dá margem a interpretações controvertidas, umas contra a Mãe de Deus, outras francamente a seu favor.
« Jesus voltou para casa, e outra vez se juntou tanta gente que eles nem mesmo podiam se alimentar. Quando seus familiares souberam disso, vieram para detê-lo, pois diziam: “Está ficando louco” (Mc 3,20-21).

« Nisso chegaram a mãe e os irmãos de Jesus. Ficaram do lado de fora e mandaram chamá-lo. Ao seu redor estava sentada muita gente. Disseram-lhe: “Tua mãe, teus irmãos e irmãs estão lá fora e te procuram”. Ele respondeu: “Quem é minha mãe? Quem são meus irmãos?” E passando o olhar sobre os que estavam sentados ao seu redor, disse: « Eis minha mãe e meus irmãos! Quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe” (Mc 3, 31-35).
Um bom número de exegetas e teólogos protestantes observam que, nessa ocasião, a fé da Virgem Maria conheceu um momento de fraqueza. Ela é compreendida na família em que se pensa que “Jesus perdeu a cabeça”; ela seria quem orienta a família a ir buscar Jesus, porque Ele não tem nem mesmo tempo para comer em paz. E Jesus a opõe àqueles que o escutam e fazem a vontade de Deus. Certos teólogos veem uma constante nesse comportamento da mãe; ela não compreende seu Filho. Mesmo em Caná, Jesus é obrigado a dizer-lhe com palavras fortes: “Mulher o que há entre ti e mim; minha hora ainda não chegou” (Jo 2, 4). Para esses exegetas protestantes, essas duas passagens de Marcos são certamente históricas e pouco favoráveis a Maria.
Mas, se, pelo contrário, lemos esses versículos de Marcos como constituindo, primeiramente, uma leitura teológica, como revelação de alguma coisa extraordinária na nova fé cristã, então toda a perspectiva muda. Com efeito, Marcos revela aqui o que é a família espiritual de Jesus. Para dar relevo a essa revelação, ele lhe opõe a família de sangue, na qual a mãe é a melhor representante. A condição para entrar nessa família espiritual de Jesus é a escuta da Palavra e o esforço para cumprir a vontade de Deus. Essa condição permite à família espiritual de ser universal, de ignorar as barreiras do sangue, de pertença a um povo, a uma cultura. A família espiritual de Jesus é aberta a todos os povos, a todas as culturas, a todos os tempos. Isso permite a nós, hoje, de podermos fazer parte dessa família. Essa revelação da família espiritual é um tesouro extraordinário. Mateus e Lucas, que também se inspiram nesses versículos de Marcos, registram essa mesma lição. O que aconteceu a Maria está agora à disposição de todos aqueles que querem fazer a vontade de Deus, ou, como diz Lucas, escutar e viver a palavra (Lc 8, 21). O que estava no singular é agora oferecido a uma pluralidade sem limites.
Para dar relevo a essa revelação, Marcos vai servir-se de vários procedimentos literários:
1- O primeiro é o de opor a família de sangue à família espiritual.
2-Essa oposição parte de longe e, primeiro, na opção de Marcos ao mostrar os discípulos de Jesus como pessoas que não o compreendem, incluindo nesse número a família de sangue. Os exemplos de fé, em Marcos, não são os discípulos, nem a família, mas as pessoas humildes do povo.
3-Depois Marcos constrói, de um capítulo a outro, uma oposição sempre mais forte contra Jesus. O auge é atingido quando a própria família pensa que Jesus está louco e os escribas, vindos de Jerusalém, o declaram possuído por Belzebu.
4- Essa cena de Marcos é construída a modo de sanduiche. Nesse procedimento, os dois extremos do texto encerram um corpo da mesma natureza. Os dois extremos são, aqui, os versículos 3, 20-21, depois 3,31-35: pensa-se que Jesus está fora de si; por isso, querem levá-lo a força para casa. Os versículos internos – 3,22-30 – mostram os escribas, procedentes de Jerusalém, tratarem Jesus como possesso.
5-O artifício literário encontramo-lo também no lugar reservado à mãe, o membro mais significativo da família de sangue. Quatro vezes ela é colocada no início da enumeração dos membros da família; na quinta vez, ela é a última citada. Assim colocada no texto, Maria faz um espécie de inclusão: ela aparece no começo e no fim dessa cena.
6-Esse texto é também um tecido de tradições diferentes: há aquela que não mostra somente a mãe e os irmãos e acrescenta as irmãs; aquela que diz que Tiago e José, irmãos de Jesus, são em realidade os filhos de uma Maria que não é a mãe de Jesus (Mc 15,40); e outra tradição que afirma ser essa Maria somente a mãe de José (Mc 15,47).
7-Na família de Jesus alguns ousam pensar mal de Jesus, mas Maria então está ausente; enfim, constitui-se o grupo da família que vai a Jesus, o que é muito positivo. Quando Jesus surpreende e choca, é o momento de ir a ele. Aqui Maria é constantemente mostrada à frente do grupo de família que deseja encontrar Jesus. Esse grupo de família, orientado por Maria, se expõe à verdade.
8- Nos versículos 3,20-21 a multidão não permite a Jesus o tempo de comer: imaginamo-la desordenada; nos versículos 3,31-35, essa multidão está sentada em redor de Jesus, está tranquila e escuta-o com alegria.
Podemos concluir que a realidade histórica foi reelaborada em favor da lição teológica, por isso, é difícil saber o que realmente se passou na família, ao passo que está claro que a família espiritual é para nós um enriquecimento extraordinário. Esse texto de Marcos contém elementos de história, mas é antes uma lição de teologia: os limites estreitos do sangue rompem-se em favor de uma família universal.
A condição para pertencer a ela é a escuta e o acolhimento da palavra, no esforço de fazer a vontade de Deus. Na Anunciação, Maria é a primeira a satisfazer essa condição: ela submete-se totalmente à vontade de Deus. Na cruz, João nos mostra que ela, a mãe, e o discípulo amado formam a primeira célula do povo novo, salvo por Cristo; eles constituem o primeiro início da Igreja. Lucas nomeia-a no Cenáculo, entre o primeiro grupo de discípulos; ela participa na primeira oração da Igreja que invoca o Espírito.



  1. Baixar 152.63 Kb.

    Compartilhe com seus amigos:
1   ...   19   20   21   22   23   24   25   26   ...   34




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal