Acordos mundiais



Baixar 297.32 Kb.
Pdf preview
Página2/13
Encontro21.12.2022
Tamanho297.32 Kb.
#26168
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   13
21443
Trabalho escolar, Primeira Revolução Industrial 102131
 
Introdução 
Em 1992 a Organização das Nações Unidas (ONU) realizou no Rio de 
Janeiro a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o 
Desenvolvimento (CNUMAD). Esse encontro, que ficou conhecido como Rio-92 
ou Eco-92, aconteceu em junho daquele ano e contou com a participação de 179 
países. 
Considerado o maior evento internacional já realizado sobre o meio 
ambiente, até aquele momento (KOHLER; PHILIPPI JR, 2005), a Rio-92 teve 
como objetivos principais: verificar as mudanças ocorridas depois da 
Conferência de Estocolmo em 1972, por meio de um diagnóstico da situação 
ambiental mundial; aprimorar a legislação ambiental internacional; apontar 
técnicas regionais e globais para ações adequadas considerando as principais 
questões ambientais; sugerir estratégias de ações nacionais e internacionais 
para a proteção ambiental por meio de políticas de desenvolvimento sustentável; 
promover estratégias de desenvolvimento sustentável; examinar técnicas de 
eliminação da pobreza nos países em desenvolvimento (DIAS, 2004). 
Reconheceu-se nessa conferência a insustentabilidade do modelo de 
desenvolvimento então vigente, e o desenvolvimento sustentável passa a ser 
visto como um modelo novo a ser buscado, reconhecendo a Educação Ambiental 
como um processo estratégico desse modelo. Os subsídios temáticos para essa 
conferência foram fornecidos pelo relatório "Nosso Futuro Comum" (REIGOTA, 
2006) ou "Relatório Brundtland", que apresentava um estudo sobre os problemas 
ambientais mundiais após 10 anos da Conferência de Estocolmo. A comissão 
Mundial sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento, responsável pela 
elaboração desse documento, foi chefiada pela primeira-ministra da Noruega, 
Gro Harlem Brundtland e o Relatório só foi divulgado em 1987. Para Reigota 
(2006), a partir desse relatório o conceito de desenvolvimento sustentável - 
aquele que atende às necessidades da geração atual sem comprometer as 
necessidades das gerações futuras - se torna mais conhecido e se enfatiza a 
importância da educação ambiental para uma possível solução dos problemas. 
O Relatório Brundtland, já permitia uma reflexão crítica sobre o modelo de 
desenvolvimento dos países desenvolvidos e no qual os países em 
desenvolvimento se espelhavam, não considerando a capacidade do 
ecossistema em relação uso de recursos naturais. 
Diante desse cenário, ao término da Rio-92, foram acordados alguns 
importantes documentos em prol do meio ambiente e das necessidades e 
interesses comuns dos governantes e sociedade civil, como: a Agenda 21, a 
Declaração do Rio sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, a Declaração de 
Princípios sobre as Florestas, as Convenção sobre Mudanças Climáticas, a 
Convenção da Diversidade Biológica (KOHLER; PHILIPPI JR, 2005). 


Revbea, São Paulo, V. 10, N
o
3: 69-81, 2015.
revista brasileira 
de 

Baixar 297.32 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   13




©historiapt.info 2023
enviar mensagem

    Página principal