A invisibilidade da mulher negra na mídia



Baixar 13.36 Kb.
Encontro19.01.2022
Tamanho13.36 Kb.
#21145
ARTIGO DE OPINIÃO. A MULHER NEGRA NA MÍDIA. GRUPO 1

Alunos: Alex Marcelino Militani; Eryck Gonçalves Marques; Heryele Barbosa Leopoldino de Oliveira; Jhulia Pereira Calisto; Karoline Silva Pereira e Luisa de Oliveira Vitor.

A invisibilidade da mulher negra na mídia.

Observando o cenário atualmente, é muito discutido o posicionamento das mulheres negras na mídia de televisão, sendo essas um grande alvo de preconceito, o que nos leva a perceber também o fato de que as mulheres negras na sociedade são as que mais sofrem com o desemprego e as que possuem menor renda em comparação com os outros grupos.

Com isso as mulheres negras tendem a sofrer preconceito por todas as partes devido a sua cor e o seu sexo. Na grande parte dos filmes a maioria do elenco é composto por mulheres brancas, sendo para as mulheres negras, reservados os papéis relacionados sempre a sexualização do seu próprio corpo, ou em relações de subserviência a pessoas brancas, exemplo disso, é o seriado da emissora Globo, SEXO E AS NEGAS, onde todo o enredo é baseado em sexualizar o corpo dessas mulheres, cabendo diferenciar destes o filme, O Pantera Negra sendo composto em sua maioria por mulheres negras, mostrando suas garras e forças. Além disso, as emissoras de televisão como podemos citar A Globo News, levou ao ar um jornal apresentado apenas por jornalistas pretos, sendo composto por cinco mulheres e um homem, onde relataram experiências racistas vivenciadas no meio de trabalho jornalístico, além de exaltar a suas importâncias e valorizações em nossa sociedade.



O índice de mulheres negras desempregadas é muito alto, segundo o jornal de núcleo de estudos e pesquisas são de cerca de 16,6% ficando em primeiro lugar no índice de desempregados, assim isso também se reflete no mercado audiovisual, fazendo com que a introdução dessas mulheres nos espaços midiáticos sejam mais difíceis, pois, são lugares onde elas passaram por situações machistas e racistas. Em estudo feito pela Organização Internacional do Trabalho, aqui no Brasil, foi constatado que mulheres pretas são as mais propensas de serem vitimas de assédio moral e sexual, em seu local de trabalho e nas entrevistas de empregos.

Em vista dos argumentos e dados apresentados, conseguimos perceber que a sociedade não trata de forma justa e humana as mulheres negras, sendo elas vitimas de discriminação por seu gênero e raça. Assim, os órgãos públicos, junto a mídia deveriam criar campanhas de conscientização nos veículos televisivos e impressos, sobre a imagem da mulher negra, além de criarem oportunidades de trabalho, que abranjam essas mulheres em todos os meios, principalmente na área midiática, onde é a mais carente de representatividade de mulheres negras atualmente.
Baixar 13.36 Kb.

Compartilhe com seus amigos:




©historiapt.info 2023
enviar mensagem

    Página principal