A importância do ensino da matemática na educação infantil



Baixar 290.54 Kb.
Pdf preview
Página1/4
Encontro27.07.2022
Tamanho290.54 Kb.
#24375
  1   2   3   4
ARTIGO


55 
A importância do ensino da matemática na educação infantil
T
he importance of teaching mathematics in early childhood
 
education 
Pamela Paola Leonardo
1
Tatiana Comiotto Menestrina
2
Roger Miarka
3
Resumo 
O presente artigo tem como objetivo discutir a importância e a presença do ensino da 
matemática na Educação Infantil, destacando sua colaboração para o desenvolvimento 
integral da criança, através de seu potencial integrador que possibilita à criança a 
construção do seu próprio conhecimento à luz de um referencial piagetiano. Para isso, 
buscamos ressaltar as recomendações e orientações didáticas do Referencial Curricular 
Nacional para a Educação Infantil, com o intuito de ampliar a visão dos educadores sobre 
o currículo de Matemática na Educação Infantil. Por fim, indicamos uma metodologia 
coerente com o referencial adotado, a dizer, a Resolução de Problemas, por explorar as 
potencialidades do raciocínio lógico matemático das crianças, oportunizando a 
descoberta e tornando-as agentes de sua aprendizagem.
Palavras-chave: Educação infantil. Matemática. Ensino. 
1 Introdução
A matemática pode ser considerada como uma área do conhecimento 
importante e imprescindível para os grandes avanços tecnológicos, para 
realização de diversas profissões, como também nas situações do dia a dia e 
entre muitas outras aplicações destinadas à viabilidade das necessidades da vida 
humana. Nessa direção, Piscareta afirma que 
“o conhecimento matemático é 
cada vez mais necessário para uma participação crítica na sociedade atual, 
auxiliando na compreensão do mundo e ajudando nas decisões de situações, das 
mais variadas naturezas” (2001, apud PREDIGER; BERWANGER; MÖRS, 2009). 
Ruiz (2002, p.218), por sua vez, discute a necessidade mundana da 
Matemática à luz do cognitivismo piagetiano: 
1
Professora de Matemática da rede estadual de ensino de Santa Catarina 
2
Professora do Curso de Matemática da UDESC CCT 
3
Professor do Departamento de Matemática – UNESP – Rio Claro 


56 
O epistemólogo Jean Piaget identifica a matemática como uma espécie de 
interface entre o espírito humano e o mundo, sendo um instrumento-chave no 
intercâmbio entre sujeito e universo. Aprender matemática é adquirir 
ferramentas cognitivas para atuar sobre a realidade. Para ele, existe o caráter 
de continuidade entre as estruturas lógico-matemáticas espontâneas do 
pensamento infantil e os edifícios formais construídos pelos matemáticos. 
Nesta perspectiva, concordamos com esses autores que a Matemática é 
de importância fundamental para o desenvolvimento integral das capacidades e 
habilidades do ser humano. E, no caso específico da Educação Infantil, 
entendemos mostra como possibilidade de instrumentar a criança tanto para a 
vida quanto para o aprimoramento do raciocínio lógico, da inventividade e da 
capacidade criadora.
Moura (2007, p. 50-51) discute modos como se dá o desenvolvimento 
desse conhecimento:
[...] o desenvolvimento do conhecimento matemático, nesse processo, é parte 
da satisfação da necessidade de comunicação entre os sujeitos para a 
realização de ações colaborativas. O desenvolvimento dos conteúdos 
matemáticos adquire, desse modo, característica de atividade. Esses 
conteúdos decorrem de objetos sociais para solucionar problemas, são 
instrumentos simbólicos que, manejados e articulados por certas regras 
acordadas no coletivo [...] os conhecimentos que vingam são aqueles que têm 
uma prova concreta quando testados na solução de problemas objetivos. 
Nesse rastro de ideias, podemos afirmar que realizar atividades de 
matemática compreende ações como estabelecer, checar e compartilhar 
processos de resolução de problemas, argumentar e legitimar visões de mundo, 
prever implicações, acolher erros etc. A partir dessas atividades, o conhecimento
matemático pode aparecer de forma espontânea e natural, com os ensaios 
apresentados à criança de acordo com o ambiente sociocultural. Partindo dessas 
ações, desafios e dificuldades passam a existir, oportunizando à criança, ao 
arriscar resolvê-las, a ampliação do conhecimento das diferentes noções 
matemáticas de maneira gradual.
Consideramos que a Educação Infantil ocupa uma papel de destaque 
nesse processo, por considerarmo-lo um período apropriado para instigar na 
criança o alargamento do pensamento lógico, por meio da diversidade de 


57 
atividades apresentadas e construídas, e pelas possibilidades de flexibilidade, 
curiosidade, inventividade e descoberta.
A educação é o processo de transmissão e assimilação da cultura produzida 
historicamente, sendo por meio dela que os indivíduos humanizam-se, 
herdam a cultura da humanidade. As aquisições do desenvolvimento histórico 
do homem estão apenas postas no mundo e, para que cada nova criança 
possa apropriar-se das conquistas humanas, não basta estar no mundo, é 
necessário entrar em contato com os fenômenos do mundo circundante pela 
mediação dos outros homens, num processo de comunicação (RIGON; 
ASBAHR; MORETTI, 2010, p. 27). 
A criança, antes mesmo de ingressar na escola está já imersa na cultura, 
recebendo diversos conhecimentos. Ao aventurar-se a organizá-los, raciocina 
matematicamente. Essa ação ocorre de inúmeras formas: nas brincadeiras, nos 
jogos, ao conversar, em quaisquer circunstâncias que a provoque a pensar sobre 
acontecimentos, condições e dificuldades que exijam dela uma decisão.
A dinâmica da Educação Infantil tem como ponto de partida circunstâncias 
que possibilitem à criança observar, pensar, interpretar, buscar e deparar-se com 
esclarecimentos ou problematizações de diferentes situações. Moura et al (2010) 
afirmam que, ainda que o sujeito possa se apropriar dos mais diversos elementos 
da cultura de maneira não proposital, de acordo com suas próprias demandas e 
interesses, é no processo da educação escolar que ocorre a intencionalidade 
social, o que explica a seriedade da organização do ensino. 
Pensar matematicamente sobre um episódio ou um problema inclui a 
habilidade de unir, separar, subtrair, corresponder, deparando-se deste modo com 
as propriedades dos objetos (cor, tamanho, forma etc.). Quando se usam estas 
ferramentas, provoca-se o estabelecimento de relações e a criança constrói 
conhecimentos matemáticos, ampliando as capacidades perceptivas e motoras 
necessárias para o seu desenvolvimento. Este é o ponto de partida para o 
trabalho com a Matemática na Educação Infantil. 


58 

Baixar 290.54 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4




©historiapt.info 2023
enviar mensagem

    Página principal