A guerra da Arte


UM PROFISSIONAL NÃO LEVA O



Baixar 0.57 Mb.
Pdf preview
Página30/54
Encontro07.07.2022
Tamanho0.57 Mb.
#24164
1   ...   26   27   28   29   30   31   32   33   ...   54
A Guerra da Arte - Steven Pressfield
UM PROFISSIONAL NÃO LEVA O
FRACASSO (OU O SUCESSO) PARA O
LADO PESSOAL
Quando as pessoas dizem que o artista possui uma couraça, o que querem
dizer não é que a pessoa seja insensível ou estúpida, mas que colocou sua
consciência profissional em outro lugar que não seu próprio ego. É necessária
uma grande força de caráter para isso, porque nossos instintos mais
profundos correm na direção oposta. A evolução nos programou para sentir a
rejeição como um golpe em nossas entranhas. Essa é a maneira de a tribo
impingir a obediência, brandindo a ameaça de expulsão. O medo de rejeição
não é apenas psicológico; é biológico. Está em nossas células.
A Resistência sabe disso e usa esse fato contra nós. Usa o medo da
rejeição para nos paralisar e nos impedir, se não de fazermos o nosso
trabalho, então de expô-lo à avaliação pública. Tive um grande amigo que
havia trabalhado durante anos em um romance excelente e profundamente
pessoal. Estava concluído. Mantinha-o em sua caixa de correio, mas não
conseguia enviá-lo. O medo da rejeição castrava-o.
O profissional não pode levar a rejeição para o campo pessoal porque
essa atitude só reforça a Resistência. Os editores não são os inimigos; críticos
não são os inimigos. A Resistência é o inimigo. A batalha se trava dentro de
nossa própria cabeça. Não podemos deixar que a crítica externa, ainda que
verdadeira, fortaleça nosso inimigo interno. Esse inimigo já é suficientemente
forte.
Um profissional obriga-se a se manter afastado de seu desempenho, ainda
que lhe dedique corpo e alma. O Bhagavad Gita nos diz que temos direito
apenas ao nosso trabalho, não aos frutos de nosso trabalho. Tudo que o
guerreiro pode dar é sua vida, tudo que o atleta pode fazer é dar tudo de si em
campo.


O profissional ama seu trabalho. Está completamente entregue a ele. Mas
não se esquece que a obra não é ele. Seu eu artístico contém muitas obras e
muitos desempenhos. O próximo já fermentado em seu íntimo. O próximo
será melhor e o seguinte melhor ainda.
O profissional valida a si próprio. É obstinado. Diante da indiferença ou
da adulação, usa seu material fria e objetivamente. Onde deixou a desejar, ele
o melhora. Onde triunfou, ele o aperfeiçoará ainda mais. Trabalhará com
mais afinco. Voltará amanhã. O profissional dá ouvidos à crítica, buscando
aprender e crescer. Mas nunca se esquece que a Resistência está usando a
crítica contra ele em um nível muito mais diabólico. A Resistência convoca a
crítica para reforçar a quinta-coluna do medo que já atua dentro da cabeça do
artista, procurando alquebrar sua força de vontade e destroçar sua dedicação.
O profissional não se deixa enganar. Sua determinação se mantém acima de
tudo: haja o que houver, nunca deixarei a Resistência me derrotar.



Baixar 0.57 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   26   27   28   29   30   31   32   33   ...   54




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal