500 dias sem você



Baixar 0.66 Mb.
Pdf preview
Página26/38
Encontro01.08.2022
Tamanho0.66 Mb.
#24418
1   ...   22   23   24   25   26   27   28   29   ...   38
500-dias-sem-voce-1
“Às vezes, é preciso frear as emoções, travar o
passo e se perguntar a direção. Talvez o que a
gente vem buscando nos outros seja também
aquilo que nos falta.”
327º dia
Quando fiquei só, eu tive que descobrir o que me fazia bem, como me
reerguer em dias tristes, como gargalhar sem motivo. Foi como se eu tivesse
a chance de, pela primeira vez na vida, ter um encontro comigo. Exceto que,
gostando ou não do que visse, teria que aprender a lidar com isso. E só assim
eu pude entender que, se nem mesmo eu pudesse me aceitar e me perdoar,
como poderia esperar que alguém o fizesse?
Ao mesmo tempo em que foi doloroso, foi libertador. Assumi o controle da
minha solidão, não sentia mais a necessidade de curar um “amor” com outro.
Nem de agarrar toda oportunidade de um novo romance, porque eu não tinha
mais medo de ficar só. Eu estava bem E estava só. Duas orações
independentes que se interligam e não se submetem. Talvez resultado do
quanto já pedi aos céus por uma luz. Quando eu estava com alguém, sentia
que era uma escolha absolutamente minha, racional, até mesmo egoísta. Eu já
me tinha por inteiro, transbordando de sentimentos, não precisava de quem
me completasse. A única falta que eu sentia era de ter com quem pudesse
compartilhar o que aprendi.
Dei-me conta de quantas vezes o fluxo havia me levado, saía de casa pra me
distrair e, no entanto, estava sempre me perguntando se eu não preferia estar
assistindo um filme ou lendo. Porque a gente aprende que não pode se
entregar, que tem que continuar lutando, perseverando. Mas não quer dizer
que seja igual para todo mundo. Tem gente que não espera sequer o coração
sarar e com ele ainda em pedaços decide amar alguém. Uma atitude tão


corajosa quanto precipitada. Tem gente que tem um medo danado de se
deparar com seu reflexo no espelho e perceber que ele é dependente de sua
reação, e ninguém pode fazer isso em seu lugar. Tem gente que já está tão
acostumado a ter uma vida composta que mal sabe falar no singular. Tem
gente que não sabe do que gosta porque talvez nunca tenha perguntado a si
mesmo.
Temos o caminho acelerado, estamos sempre correndo contra o tempo como
se fosse nosso pior inimigo, como se já nascêssemos atrasados para sermos
felizes. Às vezes, é preciso frear as emoções, travar o passo e se perguntar a
direção. Talvez o que a gente vem buscando nos outros seja também aquilo
que nos falta. Talvez a gente evite se enfrentar por ter receio de descobrir o
que nunca imaginamos sobre nós mesmos. Por isso, quando ouvimos das
pessoas que estimamos algum dos nossos defeitos dito em voz alta nos dói
muito mais. Se conhecer dói. Mas se ignorar não é a solução, pelo contrário.
A gente precisa se ouvir também, se dar um consolo de vez em quando. A
gente precisa se entender ou, pelo menos, não desistir de tentar.
Fiz as pazes com minha solidão, não posso evitá-la. Não quero dizer que vá
ser sempre assim, mas só eu sei o quanto me custou aprender a gostar de
mim, então mereço estar com quem saiba o mesmo. E não aceitar menos que
isso.


“Por você, eu enfrentei o meu medo de me
relacionar, eu controlei a minha ansiedade
pra não nos atrapalhar, eu apoiei seus sonhos
mais absurdos. Mas chega uma hora que a
gente percebe que quer o mesmo de alguém,
sabe? Não dá pra amar por dois.”
334º dia
Não foi por deixar de gostar de você que eu me afastei, muito pelo contrário.
Foi por gostar demais. Eu tinha disposição de sobra pra fazer por você coisas
que eu nunca fiz por ninguém. Porque eu também nunca havia sentido aquilo
por outra pessoa, então esse sentimento me mudou completamente. Aprendi
muito sobre mim e sobre a forma como me relaciono com o mundo. Eu me
flagrei em emboscadas de ciúmes, algo pelo qual nunca imaginei passar. Eu
me deixei levar pela teimosia. Eu me permiti ser, por você, a intensidade em
pessoa.
Aquele amor foi tão arrebatador que agia como um impulso pra que eu
quisesse ser alguém melhor, pra que eu me preocupasse em ajeitar a bagunça
que trago no peito. Eu engolia o choro pra te fazer sorrir, eu dava tudo o que
eu tivesse a você, ainda que ficasse sem nada. Eu mal conseguia controlar a
minha vontade de lhe dizer a todo instante o quanto eu te amava. Sua voz era
música para meus ouvidos, sua presença iluminava até meus dias mais
sombrios, suas conquistas me faziam feliz como se fossem minhas. Sua
risada era capaz de tocar minha alma, e eu, inexperiente, me hipnotizava.
Por você, eu enfrentei o meu medo de me relacionar, eu controlei a minha
ansiedade pra não nos atrapalhar, eu apoiei seus sonhos mais absurdos. Eu


achei que fosse conseguir, te juro. Mas chega uma hora que a gente percebe
que quer o mesmo de alguém, sabe? Não dá pra amar por dois. Não quero
mais do que eu faço, eu quero apenas o mesmo! Eu quero alguém que seja
pra mim o que eu me disponho a ser por você. É pedir demais? Aliás, eu
preciso de alguém assim.
Eu preciso de alguém que me veja como a melhor pessoa que já conheceu. Eu
preciso de alguém que faça de tudo pra não me perder independentemente de
quantas vezes tenha que passar por cima do próprio orgulho. Eu preciso de
alguém que venha atrás porque também precisa de mim, porque não
consegue ficar longe, porque está morrendo de saudade.
Então eu percebi o quanto esse sentimento era injusto comigo, o quanto eu
merecia mais do que isso. Mais do que você tinha a me oferecer. E eu aceitei
o fim.
Não vai ser fácil deixar que outra pessoa ocupe seu lugar, mas hoje eu tenho
consciência de que mereço mais do que a nossa história. Aliás, mais do que
viver no passado. Simplesmente preciso de alguém à minha altura.
Um dia a ficha caiu. Se isso não é o suficiente pra me fazer seguir em frente,
eu não sei o que pode ser.



Baixar 0.66 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   22   23   24   25   26   27   28   29   ...   38




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal