201 analgésicos e antiinflamatórios não-hormonais artigo Original



Baixar 100.2 Kb.
Pdf preview
Página5/12
Encontro09.11.2020
Tamanho100.2 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   12
MÉTODOS E CASUÍSTICA

O trabalho é descritivo e retrospectivo, basea-

do em revisão de prontuários médicos de 183

pacientes com história de reações à ingestão de

analgésicos (ANA)/antitérmicos e AINH, atendi-

dos em clínica de Imunologia entre abril de 1980

a dezembro de 1998. Eram 93 (51%) do sexo

feminino e 90 (49%) do sexo masculino, 63 (34%)

com idade igual ou inferior a 15 anos e 120 (66%)

com idade superior a 15 anos. A idade, por ocasião

da primeira reação com medicamentos, variou de

7 meses a 65 anos, com média de 15 anos. Cin-

qüenta e oito por cento dos pacientes tiveram

reações repetidas a mais de uma droga em ocasi-

ões diferentes.

Foram realizados testes cutâneos de leitura

imediata pela técnica de puntura com extratos

glicerinados de aeroalérgenos que incluíam Der-



matophagoides pteronyssinus, epitélio de cão e

gato, pólen de gramíneas, fungos do ar e baratas,

todos obtidos de Greer Laboratories, Lenoir USA.

Os testes cutâneos foram considerados positivos

quando a pápula formada tinha diâmetro igual ou

maior que 3 mm.



RESULTADOS

Com relação à idade e ao sexo, 24 (38%)  pacien-

tes com idade inferior a 15 anos eram do sexo

feminino enquanto que 69 (58%) com idade superi-

or a 15 anos eram do sexo feminino (tabela 1). O

predomínio feminino nesta faixa etária era signi-

ficativo (

χ

2



=4,8 ; p=0,02).

Os testes cutâneos com aeroalérgenos foram

realizados em 138 pacientes, dos quais 100 (72%)

apresentaram resultado positivo, para pelo menos

um alérgeno testado, e mais freqüentemente ao

ácaro (92%).

As manifestações clínicas encontradas foram

angioedema 158 (86%), urticária 72 (39%); reações

sistêmicas 55 (30%) ; reações nasais e oculares 28

(15%) e crises de asma 24 (14%). Havia história

familiar de sensibilidade a ANA/AINH em 7 (3,8%)

dos pacientes (fig.1). Quando a freqüência de ma-

nifestações clínicas foi analisada com relação à

idade, verificou-se que não havia diferença signi-

ficativa entre pacientes com idade inferior ou su-

perior a 15 anos.

As doenças associadas à sensibilidade aos ANA

e AINH foram rinite 101 (55,2%), urticária crônica

86 (47%), asma  68 (37%) e conjuntivite 32 (17,5%)

(fig. 2). Reações a uma droga isoladamente foram

referidas ao ácido acetil salicílico em 55 (30%);

dipirona 14 (7,6%); e AINH 8 (4,4%). O aceta-

minofen, isoladamente, não desencadeou reações.

Foram observadas reações repetidas a mais de

uma droga em 106 (58%) pacientes. O AAS e a

dipirona estavam associados em 49 (26,7%). Rea-

ções ao AAS e também a AINH ocorreram em 16

(8,7%). Igual número de reações foram ocasiona-

das por AAS, dipirona e AINH. Apesar de o

acetaminofen ser utilizado como alternativa para

casos de sensibilidade a outros antitérmicos/anal-

gésicos, ele causou sintomas em 11% dos pacientes

nas doses prescritas usualmente com esta finali-

dade, mas que não foram informadas (tabela 2).

Nossos pacientes não referiram se a nimesulida




Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   12


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal