1 Alessandro Finkler



Baixar 146.72 Kb.
Pdf preview
Página5/6
Encontro02.06.2022
Tamanho146.72 Kb.
#23567
1   2   3   4   5   6
7237-Texto do artigo-31271-1-10-20160923
Geografia contextos e redes
Modalidade do trabalho: Ensaio teórico 
Evento: XXIV Seminário de Iniciação Científica 
Como já citado, essas nações são onde estão mais concentradas as indústrias energointensivas, que é 
motivo delas apresentarem maior variação percentual no consumo de energia do que no crescimento 
do seu PIB. Outro fator que contribui no aspecto do baixo crescimento econômico é a grande 
quantidade da economia informal, no desenvolvimento de atividades sem registro, que não 
contribuem na arrecadação de impostos e tributos [1]. 
Outro índice indicativo do desenvolvimento econômico de um país é o consumo de energia elétrica 
por habitante, países mais desenvolvidos apresentam maior consumo de energia elétrica por 
habitante. Entretanto, apesar de possuir maior consumo per capita de energia elétrica, estes países 
tendem a apresentar intesidade elétrica do PIB mais baixas e a elasticidade-renda da demanda de 
energia próxima ao valor unitário. 
Desta forma, na medida em que um país se desenvolve economicamente sua renda e produtividade 
possuem a tendência de crescer e a elasticidade-renda tende a diminuir se aproximando da unidade. 
Isto significa que em uma economia desenvolvida, para um mesmo aumento do PIB, o crescimento 
do consumo de energia elétrica relativo ao aumento do PIB tende a ser relativamente menor do que 
em países emergentes. 
O Brasil historicamente tem uma elasticidade-renda do consumo de energia elevada, no período de 
1970 até 2005 se teve um valor médio de 1,67, com alta nos anos 80 quando se teve o índice de 
3,75, devido a entrada de operação de grandes plantas indutriais energointesivas [2]. 
Já no período de 2004 a 2007, o país estava com sua economia aquecida, com crescimento médio 
do PIB próximo de 5% ao ano. Durante esse período a elasticidade-renda se manteve próxima a 
unidade, com uma média de 1,07, conforme os valores de crescimento do PIB e consumo de energia 
elétrica demonstrados na Figura 3 [2]. 
Figura 3 - Variação do PIB e Consumo de Energia no Brasil, de 2004 a 2007 [2]. 
O peso do setor industrial no consumo total de energia elétrica também está presente no cenário 
brasileiro, que conforme a EPE a classe representou em 2011 aproximadamente a metade do valor 



Baixar 146.72 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal